Introduzindo o blog

Sempre quando eu leio um blog falando de cultura pop, me vêem logo de cara que ele falará de tudo afirmando está falando de coisa nenhuma, especificamente. Por vezes eu vejo isso como uma saudável hipocrisia para poder ter uma justificada liberdade para escrever sobre qualquer coisa sem ser molestado. Afinal, nada mais gostoso que tranqüilidade e sossego para tratar sobre qualquer tema e expor sua imaculada e delicada opinião, não é mesmo? Mas eu não sou assim. Escrevemos para expor nossa opinião e nossa opinião nunca é absoluta, por mais que por ventura sempre evitamos fazer transparecer isso. Apenas o ato de emitir já contém os germes de uma discussão e essas, por suas vez, podem ser improdutivas (cheias de falácias, paixões, sensos-comuns) ou rendoso na formação do dito e exaltado conhecimento que todo mundo cobra e diz gostar, mas poucos não assumem que são tão estúpidos e ignorantes quanto o sujeito que estão denunciando.

Admiro muito a consideração das pessoas que me conhecerão pelo blog, sério, adoro deste dos palavrões mais cabulosos até a grande consideração ao ponto de receber um selo dardo, as visitas apesar do sumiço, aos amigos que vêem falar comigo na balada e as pessoas que me reconhecem e agradecem meu trabalho, deste de agora até na época áurea da Gothic Rock (e a antiga moderadora não era meu fake, catzo). Só que meu objetivo deste de sempre não foi fazer amigos aqui, e sim escrever sobre o que eu gosto e falar sobre aquilo que eu penso, com responsabilidade e sem exaltação. Claro que não sou um príncipe de virtudes e tenho meus defeitos: Excessivamente sarcástico ,sofisticado até ficar confuso e deverás ácido nas minhas colocações com algo que supostamente deveria gostar. Mas bem, alguém tem que fazer o papel de Damaged Good, não?

Esse blog falará sobre a cena gótica e tudo que compõe nosso universo, em todas as décadas, em todas as vertentes, nacional e internacional e sobre todas as coisas que fazem sobre nós. Música, moda, subcultura, cultura mainstream (o legítimo nome da cultura pop), literatura (não poesia!), personalidades, história e curiosidades sobre tudo que envolve os góticos. Embora não sou nenhum especialista, acredito com certa convicção que minha intensa curiosidade e carinho por essas coisas conseguem suprir bem essa carência acadêmica. Algumas informações poderão aparecer aqui em inglês, mas não se assustem já que cedo ou tarde, ou mesmo no próprio post, haverá sua tradução. Com o tempo irei colocar novas formas de ler esse blog para quebrar o marrasmo das postagens.

Aqui será abordado temas polêmicos para pessoas que querem salvar o mundo de alguma coisa (e isso inclui moralistas, religiosos, pessoas de “bons costumes”, vegetarianos, comunistas ou qualquer um que queira “fazer a diferença”), portanto eu recomendo que caso leia esse blog e for menor de idade que avise seus pais ou responsáveis sobre seu interesse por coisas gótekas (ou faça escondido!) e, por favor, perceba sempre o aviso que irei colocar quando a temática do blog for muito hard. Também sou do tipo que gosta de provocar, então não se leve tão a sério para não sofrer do coração cedo demais, ok?

Portanto leiam, amem, louvem, xinguem, exaltem, depreciem, participe me exponha sua opinião para ser apreciada aqui. Para perguntas, vocês podem usar meu formspringme e, para ver rascunhos de opinião, podem me seguir no twitter.